Câmara pede mais celeridade do INSS

 

Trabalhadores que lutam por benefícios do INSS pediram o apoio da Câmara Municipal de Montes Claros para que haja atendimento mais humanizado e agilidade nas respostas das perícias realizadas pelo Instituto. O assunto foi levantado na reunião da Casa Legislativa nesta semana.


A Vereadora Neia do Criança Feliz (DC), denunciou que quase sempre o trabalhador precisa esperar horas pelo atendimento. O tempo de reposta é outro problema: “a resposta, na teoria, deveria ser no máximo 45 dias e tem trabalhador esperando há meses, alguns há um ano e muitas vezes, quando sai o resultado é negando o beneficio”.


A Vereadora apoiada por outros parlamentares, como Raimundo do INSS (PDT), sugeriu que para dar mais celeridade aos processos que se acumulam, a agência poderia realizar um mutirão.
“Claro que sabemos que não resolverá totalmente o problema, mas poderá diminuir, e muito, o número de pessoas que dependem exclusivamente do recurso e estão incapacitadas de trabalhar”, destacou Neia.


Para o vereador Raimundo que trabalhou durante anos no INSS, o mutirão seria uma resposta ao anseio de trabalhadores que esperam e precisam do benefício.

 


Reivindicação de Vereadora ajudará não só Montes Claros


As cobranças da Vereadora Neia por humanização no atendimento e cumprimento dos prazos rederam resultados para todo o Norte de Minas. Um acordo será celebrado na próxima segunda-feira (3) entre INSS e AMAMS. Neia acredita que com essa parceria, finalmente os trabalhadores terão resposta mais rápida dos processos junto ao Instituto.


“Um grande ganho para os municípios e principalmente para o povo tão sofrido. Isso porque no momento o INSS não está dando conta de atender a demanda. Está superlotado de processos, não consegue despachar, não consegue fazer avaliação em tempo hábil e quase todos os processos estão com prazos esgotados”, explicou a vereadora.


A parlamentar acredita que Montes Claros deverá aderir ao acordo, com um local apropriado, dentro da Prefeitura e também servidores que serão capacitados para o atendimento das demandas do INSS. Serviços que outrora eram só feitos e protocolados no INSS, passarão a ser também disponibilizados nas prefeituras, haverá um grande ganho. Enquanto as prefeituras recebem e protocolam os pedidos, o Instituto de Previdência Social fica a cargo de avaliar a documentação, o processo e já de imediato dar o resultado.
“A demora está pelo excesso de demanda”, explicou Neia que confirmou presença no encontro da AMAMS e INSS.