Promoção da Igualdade Racial é tema de seminário na Câmara



A Escola do Legislativo da Câmara Municipal de Montes Claros e a coordenadoria de Promoção da Igualdade Racial da Prefeitura de Montes Claros realizaram, na tarde de sexta-feira (05), o Seminário de Promoção da Igualdade Racial. Participaram dos debates professores, estudantes e integrantes de projetos e programas educacionais como  o "Fica Vivo". Foram ministradas três palestras com autoridades sobre o assunto.

Yone Maria Gonzaga doutora em educação pela FAE/UFMG, hoje servidora técnico-administrativo da Universidade falou sobre "violência por motivo étnico racial".

"Não podemos achar que discutir o assunto é ‘mi mi mi’. A desigualdade existe e o racismo ainda é preocupante. É possível mudar essa realidade? Sim. Apostando em educação. Esse é um momento educativo. Mas o assunto não deve ser discutido somente aqui, na Escola do Legislativo e sim em todos os lugares. Nosso País só vai se tornar democrático se essa questão do racismo for uma preocupação de todos",  destacou Yone.

Maria Luiza Lopes Oliveira, graduanda em Direito, desenvolve pesquisas nas áreas de Direitos Sociais, Antipenalismo e Feminismo Interseccional. Militante pelas religiões de Matriz Africana, é Egbomi e Coordenadora do Coletivo Juventude de Terreiro de Montes Claros. Ela  que participou do projeto parlamento Jovem de Montes Claros como estudante, coordenou a Plenária estadual do Parlamento Jovem em 2012 e Participa como monitora voluntária do Parlamento jovem há quatro anos, falou  sobre "Direito às Identidades e à diversidade Cultural".

"A gente pode entender o racismo, a gente pode inclusive desenvolver políticas públicas que são fundamentais para a população negra do nosso país hoje. Mas isso só não resolve o problema. Não resolve porque, enquanto a gente estiver subjugada a uma estrutura que legitima as relações de poder vai haver preto morto por conta de ser preto", alertou a palestrante.

José de Andrade Matos Sobrinho que é professor na Unimontes, doutor em educação pela UFMG e pesquisador sobre Trabalho e Educação e também Educação Popular e, falou sobre "Desigualdade Socioeconômicas".

"O estado tem  o papel fundamental de estimular políticas públicas  que promovam a inclusão do jovem nesses assuntos e que permitam também ele melhorar  em termos de uma condição econômica  para poder  desenvolver sua vida de formação educacional ,de trabalho e assim por diante", ressaltou o professor.

Na abertura do evento o presidente da Câmara, Marcos Nem (PSD), destacou a necessidade e a importância de se discutir e lutar pela Promoção da Igualdade Racial: "não podemos negar que tivemos avanços nas políticas voltadas ao enfrentamento à discriminação e à promoção da igualdade racial, mas muito ainda precisa ser feito. O assunto precisa  ser debatido, o cumprimento das leis  precisa ser cobrado com mais intensidade e outras leis podem e devem ser elaboradas para diminuir  a discriminação.  É por isso que eventos como este são de fundamental importância", destacou o vereador.

Para a deputada estadual Leninha (PT), o seminário "traz a juventude negra de periferia e também aqueles que compartilham da mesma ideia de que nós devemos cada vez mais  vencer  os preconceitos , diminuir as desigualdades e acabar com a discriminação racial, fortalecer étnicos culturais da juventude e das periferias e mais do que isso, formular politicas publicas  que sejam de devolutivas, mais leves do ponto de vista  da vida da juventude negra, que é a juventude que mais morre e que mais sofre preconceito e discriminação. A gente quer evidenciar programas importantes como o " Fica Vivo" e outros que trazem outra identidade de um jovem criativo , inteligente e com capacidade de desenvolver  suas habilidades",  ressaltou Leninha.

Para a coordenadora da Escola do Legislativo, Cristiane Nunes, um evento de  valor para toda a sociedade: "a partir de discussões como esta que vamos criando valores e ideias que  podem ser transformadas em  projetos de valorização  de todos,  sem distinção de raça ou cor", destacou  Cristiane.

O Coordenador Municipal da Igualdade Racial, José Gomes Filho, elogiou o tema que está sendo trabalhado esse ano pelo parlamento jovem: "Nós estamos vivendo, principalmente em Montes Claros,  uma onda crescente  do racismo institucional , do racismo  dentro das escolas. Programas como este é muito importante  para que a gente esclareça um pouco  o que anda acontecendo  na nossa cidade. A coordenadoria de igualdade racial aprovou  esse gancho para juntamente com o parlamento trazer essa discussão.  Pela manha, foi importante a discussão  das leis  que tratam da história dos afro descendentes  e dos povos indígena  que para mim foi uma avanço muito grande, uma grande vitória esse evento de hoje", finalizou José Gomes.

O parlamento jovem é um projeto formatado pela Assembleia Legislativa de Minas Gerais em parceria com as câmaras municipais. Todo ano é escolhido um tema e o assunto que está sendo trabalhado  em 2019 e que foi escolhido pelos  integrantes do Parlamento  Jovem é: “DISCRIMINAÇÃO ÉTNICO RACIAL”.