Vereadores aprovam projetos e recebem reivindicação dos professores municipais

Vereadores aprovam projetos e recebem reivindicação dos professores municipais Ascom/CMMC

Foi realizada, nesta terça-feira (18), a penúltima ordinária da Câmara Municipal de Montes.

Em regime de urgência, foram aprovados dois projetos: O P.L nº 103/2018 - Executivo Municipal - Autoriza a Concessão de Direito Real de Uso de Imóvel ao Instituto Estadual de Floresta (IEF), para Implantação e Execução do Centro de Triagem de Animais Silvestres, em Atividades Próprias de Cetas e dá outras Providências; e o P.L.C nº06/2018 - Executivo Municipal - Altera o Artigo 106, da Lei Complementar nº58, de 31 de março de 2017 / que altera para 45 dias o prazo de licença no caso de adoção ou guarda judicial de pessoa com mais de um ano e menos de 18 anos de idade.

Sobre o Cetas, segundo o vereador Soter Magno(PP), “esse projeto atende a uma necessidade que já vem sendo defendida por ambientalistas sobre a importância de se ter um Centro de Tratamento para Animais Silvestres (CETAS), abrigado em uma área maior porque a demanda de tratamento é muito grande. Esse trabalho já é feito em parceria com a Secretaria Municipal de Meio Ambiente, o Conselho Municipal de Conservação Ambiental (Codema) e o Instituto Estadual de Floresta(IEF) e vai funcionar como um centro de referência que vai para suprir a região de Belo Horizonte até a Bahia. O zoológico não perderá sua função e será reaberto à visitação da população e educação ambiental”, acrescentou o Parlamentar.

Pedido de vistas

Foi pedido vistas para o projeto Primeira - P.L nº106/2018 - Executivo Municipal - Altera a Lei Municipal nº 4,765, de 05 de novembro de 2015 e dá outras providências onde autoriza o Poder Público Municipal a declarar de utilidade Pública e adquirir mediante desapropriação, o bem imóvel abaixo descrito, de propriedade da Coteminas S/A.

Professores protestam na Câmara

Durante a reunião, houve participação dos professores municipais que pediram auxílio aos vereadores para que os salários atrasados fossem pagos pela Prefeitura. O Presidente Cláudio Prates falou sobre a posição da Câmara.

“Sabemos que os recursos do Fundeb estão com cinco meses de atraso e que a Prefeitura está com algumas dificuldades para cumprir seus compromissos financeiros, porém o meu pensamento que é reflexo desta Câmara. A Casa faz o compromisso de levar essa reivindicação ao Prefeito e que ele tenha a sensibilidade de que os salários sejam pagos com os recursos do tesouro municipal. Se for preciso, faremos um acordo para que as obras de asfaltamento que nós sugerimos, sejam paralisadas temporariamente e os recursos sejam utilizados para o pagamento dos professores”, disse o Presidente.

O vereador Ailton do Vilage (PHS), também se solidarizou com a causa dos professores.

“Quero deixar aqui meu apoio aos professores que contribuíram na minha formação para que eu pudesse ser um parlamentar. Reforço as palavras do Presidente para que seja encontrada a melhor solução junto ao Prefeito. Sugiro que além da paralisação das obras, que o Executivo pago primeiro o salário dos professores e depois o dos vereadores e demais cargos comissionados”, concluiu o vereador.

Maria Helena Lopes (PPL) afirmo que “esse problema está instalado na Educação que é e a prioridade de todos os governos do mundo e aqui é deixada de lado. A Educação não pode ser moeda de troca ou massa de manobra. Como colocou muito bem o Presidente, temos que buscar solução junto ao prefeito para que ela possa acontecer".

Assessoria de Comunicação
Câmara Municipal de Montes Claros